a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Quanto custa formar mal uma geração?

Deixo esta questão aos ilustres visitantes:

Uma geração mal formada tem um custo inferior a uma nova travessia sobre o Tejo?

Para uma nova obra pública, seja o aeroporto, um ponte ou o quer que seja que envolva milhões e cimento, temos estudos, discussões, debates e considerável número de postas pela blogosfera fora. Mas quando se trata de profundas alterações no nosso sistema educativo, com repercussões em diversas gerações, basta um senhor do Ministério da Educação para as fazer, desde que tenha um grau de mestre em Educação pela Boston University (sem bem que tenha dificuldades no uso da vírgula).

Afinal de contas, qual é o «LNEC» da educação?


5 comments :

  1. José Luiz Sarmento disse...
     

    O LNEC para a Educação seria uma Ordem dos Professores, mas contra esta está o governo, porque não quer ser avaliado; e estão os sindicatos, pela mesma razão.

  2. O Guardião disse...
     

    A educação está a transformar-se num verdadeiro caos com consequências imprevisíveis. Não sei se haverá quem ponha mão no assunto, até porque a instabilidade já está instalada e não é de hoje.
    Cumps

  3. joshua disse...
     

    É a última gota. Quer me parecer que o estado de guerra, a sôfrega e estúpida toada do Ministério mais Grosseiro do Planeta, vai ser corrida a pontapé!

    PALAVROSSAVRVS REX

  4. Maria Lisboa disse...
     

    O custo é coisa que não lhes interessa. Para eles nunca há-de haver o deve... estarão sempre entre os que receberão dividendos proporcionais à desconstrução que conseguirem fazer. Dividendos esses que, de acordo com as normas para que foram lá colocados, serão pagos em cargos e mordomias condicentes com a sua capacidade de desencorajamento de lutas por direitos, de transformação dos cidadãos do país em robots e da condução à ignorância das futuras gerações para que nem sequer tenham a veleidade de conhecer a palavra democracia, não vão querer procurar o seu significado em um qualquer dicionário encontrado num recôndito alfarrabista.

  5. Maria Lisboa disse...
     

    Não podemos ficar atrás dos outros países! - explicou hoje, repetidamente, o nosso chefe do (des)governo.

    Por isso temos que caminhar apressadamente para podermos estar ao nível de qualquer país civilizado!

    Este parece ser um bom objectivo:

    http://www.koreus.com/video/blonde-europe-pays.html

Enviar um comentário