a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this
O governo começou por dizer que não mas acabou a bater palmas à candidatura ibérica ao mundial de 2018. O argumento do secretário de estado do desporto, Laurentino Dias, é que temos as infraestruturas construídas por ocasião do 2004, pelo que esta candidatura constitui uma forma de as rentabilizar sem despesa adicional.

Acontece que 2018 - é só fazer as contas - acontecerá 14 anos depois de 2004! Ora alguém acredita que passados 14 anos da sua construção ninguém quererá fazer obras nestes estádios? Sejam de renovação, seja para incorporarem eventuais novidades.

Concordar com esta candidatura é a jogada expectável de qualquer político. Recusa-la implicaria arranjar atritos com a influente malta da bola no momento presente, anos de tantas eleições ainda para mais. Até se conseguem imaginar as manchetes dos jornais mais lidos pelos portugueses, os desportivos. Quanto a 2018, quem cá estiver que se desenrasque, vamos é tratar do nosso presente.

Cá estaremos então para chamar recordar as palavras deste senhor.


2 comments :

  1. Pata Negra disse...
     

    O que vale é que o mundo vai acabar antes.

  2. Fliscorno disse...
     

    Achas? Então se calhar vou armazenar umas latas de feijão :)

    Ora eu até parecia bruxo. Hoje de manhã já ouvi a FIFA falar de requisitos quanto ao nº de lugares nos estádios, no caso para o jogo de abertura. Nenhum dos nossos estádios cumpriam...

Enviar um comentário