a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Programa e-escola - um sumário

INTRODUÇÃO

Ao analisar o padrão de visitas recente neste blog reparei que muitos visitantes vieram em busca de informações sobre o programa eescola. Já aqui abordara o tema algumas vezes e aqui ficam mais algumas notas, em jeito de sumário/actualização. Apesar de procurar apresentar opiniões fundamentadas e publicar este texto com boa fé, realço que cada qual deverá elaborar as suas próprias conclusões. Se para isso esta leitura ajudar, melhor.


CONCLUSÕES

Sendo este texto algo alongado, apresento a seguir as minhas conclusões. Segue-se cópia da informação disponível no site oficial deste programa (http://www.eescola.pt/, que infelizmente está apresentada duma forma amadora que dificulta a leitura e a comparação. Além que se grama com o parvo do vídeo de cada vez se acede a cada página principal, o qual que começa automaticamente e em grande som.

Conclusões pessoais

1. Sobre os portáteis: são actualmente entrada de gama. Atendendo a que vêm com o Windows Vista e sabendo-se que este é muito exigente em termos de memória, pessoalmente se fosse comprar um destes portáteis pediria para colocar pelo menos 2 Gb de RAM. Isto é particularmente importante porque ao fim de algum tempo (3 a 5 anos) torna-se muito complicado encontrar memória adequada ao modelo em causa. Experimente o leitor comprar memória para um portátil de há quatro anos e verá que assim é. Ao comprar um destes portáteis também teriam muita atenção à placa gráfica incluída, pois novamente o Windows Vista é exigente quanto a este recurso. Sobre o disco rígido incluído (80Gb) é manifestamente pouco. No entanto é bom notar que estes valores são típicos para os actuais portáteis de entrada de gama.

E qual dos modelos é melhor? Teoricamente será o Toshiba, apesar da menor velocidade de relógio. Acreditando nas especificações da Intel, o modelo do processador terá maior capacidade de processamento.

Deixo uma observação aos incautos que apenas olham para os números. A performance dum computador não depende apenas do processador incluído, como de resto se aprende logo no início de qualquer curso de informática. Depende em larga escala da velocidade dos periféricos e restantes componentes (velocidade do disco duro, velocidade da memória, quantidade e tipo de memória cache, velocidade do barramento, etc). Diz-me a minha experiência que se consegue melhor performance aumentando a quantidade de memória do que tendo processadores mais rápidos. Aliás no actual contexto, os processadores têm tal capacidade de cálculo que são efectivamente os restantes componentes que ditam a performance da máquina. Assim, é uma discussão estéril se se tem um Celeron, Dual Core, 1.46 GHz, 1.80 GHz, etc. Haverá, certamente, melhorias de performance perante aplicações muito exigentes em capacidade de cálculo, mas convenhamos numa utilização do dia a dia, o processador passa quase todo o tempo a repousar. Premissa que, entre outras, contribuiu para o desenvolvimento dos processadores da classe Mobile, usados em especial nos portáteis.


E a assistência pós venda? Bom, recebi um mail da Toshiba a comunicar-me que nada têm a ver com estes portáteis (ver outro post por aqui). Quem presta então a assistência se o representante da marca diz nada ter a ver com isso?


2. Sobre a ligação Internet: são oferecidas as velocidades 384 Kbps e 640 Kbps, respectivamente 0.375 Mbps e 0.625 Mbps. Muito menos do que o actual padrão (3.6 Mbps). É de realçar que esta ligação poderá ser suficiente para consultar páginas web simples (como a Wikipédia) mas deixa de fora o uso eficaz em páginas web 2.0 como Youtube. O tráfego incluído também não é grande coisa. A Optimus e a TMN não esclarece mas a Vodafone distingue entre tráfego de Download (Vododafone - cliente) e Upload (cliente - Vodafone), sendo que apenas 200MB são fornecidos! Isto equivalerá ao upload de aproximadamente 50 músicas em formato mp3, por exemplo. E, por regra, o tráfego extra para além do contratado é bem caro. Pessoalmente, eu classificaria esta ligação como um ponto negativo, um empecilho à compra do computador. No entanto cada qual deve fazer o seu próprio juízo, em particular olhando para o seu perfil de utilização. É de notar que durante o período de fidelização, o operador não está obrigado a aumentar nem a velocidade nem o tráfego incluído no serviço, mesmo que técnica e comercialmente essa mudança exista nos restantes tarifários.

3. Sobre as ofertas existentes: é curioso como o Ministério da Educação e/ou os operadores são discriminatórios, apesar de tanta conversa da igualdade de oportunidade e etc. Os alunos dos 1º e 2º escalões não têm o mesmo leque de escola dos restantes, nem em termos de portáteis, nem em termos de velocidade de ligação. É caso para dizer que pobre navegará sempre com menos velocidade. Curioso é também notar que um aluno que desista de estudar e que vá para as Novas Oportunidades terá como recompensa o acesso a um portátil a metade do preço dos seus colegas que continuaram a estudar... Opções!

4. Sobre o Microsoft Office 2007: custa a versão Ensino 180 €, sendo incluída com o portátil. Para quem faça questão de usar este software, será uma mais valia. Para os restantes fica a nota que o OpenOffice é gratuito e também está disponível em português (Link).

5. Alternativas a este programa: olhando para os custos finais das diversas opções, nota-se que há casos deveras interessantes (1º escalão e Novas Oportunidades) em que, face ao preço final, não existe melhor alternativa à apresentada neste programa. Já nos restantes casos há uma zona cinzenta, sendo cada caso um caso. Se atendermos apenas ao preço do portátil, seguramente que por 780 € ou por 1,000 € se encontram alternativas equivalentes a estas. Considerando a Internet incluída, já outras ponderações terão que ser feitas. Deixo-as ao cuidado do leitor. Mesmo assim, realço alguns alternativas:

- Apple Mac Mini, que vem de raiz com uma excelente oferta de software;
- a opção de escolher uma máquina Linux + OpenOffice ou outro pacote de produtividade disponível sobre a licença GLP, sendo que neste caso apenas se têm a pagar a máquina propriamente dita (um computador que venha com Windows paga sempre uma quantia para a respectiva licença OEM);
- na gama Internet "fixa" existem ofertas muito interessantes, incluindo TV/telefone/Internet, a velocidades verdadeiramente úteis, preços atractivos e tráfego incluído mais do que suficiente.


DETALHES DO PROGRAMA
Informação constante no site oficial do programa, excepto a indicação do custo final que é cálculo meu.

Como tem sido repetido, estes portáteis implicam o pagamento inicial de 150 €, seguindo-se o pagamento duma mensalidade durante o número de meses indicado. O preço final do produto adquirido (computador mais ligação) é, portanto, o indicado na coluna "Custo final".

Notei que as ofertas listadas no programa eescola foram alargadas desde a minha última consulta, existindo agora em certas circunstâncias a velocidade 640 Kbps.



1. ESCOLA

Condição de acesso: alunos que se inscrevam no 10º ano de escolaridade, nos próximos 3 anos

Diferenciado em 3 escalões.

1º escalão: acção social escolar





OperadorComputadorLigaçãoCusto final
OPTIMUSPortátil Toshiba Satellite L40
Processador Intel® Pentium® Dual-Core 2310, 1.46 GHz
Ecran TFT de 15.4" WXGA panorâmico
Memória RAM 1Gb
Disco 80Gb SATA
Gravador de DVD
Wi-Fi
Windows® Vista Home Premium
Office 2007
Kanguru Basic
Velocidade: 384kb/s
Tráfego incluído/mês: 1Gb
Mensalidade: € 5 (durante 36 meses)
150 € + 5 € * 36 =
330 €
TMNPortátil Fujitsu Siemens Esprimo Mobile V5515
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2130 1,86 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 5 (durante 36 meses)
150 € + 5 € * 36 =
330 €
TMNPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2310 1,46 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 15 (durante 36 meses)
150 € + 5 € * 36 =
330 €
VODAFONE(brevemente)


2º escalão: agregados com baixo rendimento




OperadorComputadorLigaçãoCusto final
OPTIMUSPortátil Toshiba Satellite L40
Processador Intel® Pentium® Dual-Core 2310, 1.46 GHz
Ecran TFT de 15.4" WXGA panorâmico
Memória RAM 1Gb
Disco 80Gb SATA
Gravador de DVD
Wi-Fi
Windows® Vista Home Premium
Office 2007
Kanguru Basic
Velocidade: 384kb/s
Tráfego incluído/mês: 1Gb
Mensalidade: € 15 (durante 36 meses)
150 € + 15 € * 36 =
690 €
TMNPortátil Fujitsu Siemens Esprimo Mobile V5515
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2130 1,86 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 15 (durante 36 meses)
150 € + 15 € * 36 =
690 €
VODAFONE(brevemente)


3º escalão (os restantes alunos)


OperadorComputadorLigaçãoCusto final
OPTIMUSPortátil Toshiba Satellite L40
Processador Intel® Pentium® Dual-Core 2310, 1.46 GHz
Ecran TFT de 15.4" WXGA panorâmico
Memória RAM 1Gb
Disco 80Gb SATA
Gravador de DVD
Wi-Fi
Windows® Vista Home Premium
Office 2007
Kanguru Basic
Velocidade: 384kb/s
Tráfego incluído/mês: 1Gb
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Kanguru Light
Velocidade: 640kb/s
Tráfego incluído/mês: 2Gb
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
TMNPortátil Fujitsu Siemens Esprimo Mobile V5515
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2130 1,86 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Tarifário BL
Tráfego incluído: 2GB
Velocidade: 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
TMNPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2310 1,46 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Tarifário BL
Tráfego incluído: 2GB
Velocidade: 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
VODAFONEPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Pentium Dual Core
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista
Office 2007
Em Português
Banda Larga 384Kbp
Tráfego incluído: D:1GB/U:200MB
Velocidade: Até 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Banda Larga 640Kbp
Tráfego incluído: D:2GB/U:200MB
Velocidade: Até 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €


2. PROFESSOR

Condição de acesso: todos os professores do Ensino Básico e Secundário

"Uma solução que garante a mobilidade, condição importante para o pleno exercício da actividade docente." Paga pelo respectivo profissional, falta acrescentar.

OperadorComputadorLigaçãoCusto final
OPTIMUSPortátil Toshiba Satellite L40
Processador Intel® Pentium® Dual-Core 2310, 1.46 GHz
Ecran TFT de 15.4" WXGA panorâmico
Memória RAM 1Gb
Disco 80Gb SATA
Gravador de DVD
Wi-Fi
Windows® Vista Home Premium
Office 2007
Kanguru Basic
Velocidade: 384kb/s
Tráfego incluído/mês: 1Gb
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Kanguru Light
Velocidade: 640kb/s
Tráfego incluído/mês: 2Gb
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
TMNPortátil Fujitsu Siemens Esprimo Mobile V5515
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2130 1,86 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Tarifário BL
Tráfego incluído: 2GB
Velocidade: 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
TMNPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2310 1,46 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Tarifário BL
Tráfego incluído: 2GB
Velocidade: 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €
VODAFONEPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Pentium Dual Core
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista
Office 2007
Em Português
Banda Larga 384Kbp
Tráfego incluído: D:1GB/U:200MB
Velocidade: Até 384 Kbps
Mensalidade: € 17,5 (durante 36 meses)
150 € + 17,50 € * 36 =
780 €
Banda Larga 640Kbp
Tráfego incluído: D:2GB/U:200MB
Velocidade: Até 640 Kbps
Mensalidade: € 24,9 (durante 36 meses)
150 € + 24,9 € * 36 =
1.046,40 €


3. NOVAS OPORTUNIDADES

Condição de acesso: trabalhadores em formação, inscritos na iniciativa Novas Oportunidades

OperadorComputadorLigaçãoCusto final
OPTIMUSPortátil Toshiba Satellite L40
Processador Intel® Pentium® Dual-Core 2310, 1.46 GHz
Ecran TFT de 15.4" WXGA panorâmico
Memória RAM 1Gb
Disco 80Gb SATA
Gravador de DVD
Wi-Fi
Windows® Vista Home Premium
Office 2007
Kanguru Basic
Velocidade: 384kb/s
Tráfego incluído/mês: 1Gb
Mensalidade: € 15 (durante 12 meses)
150 € + 15 € * 12 =
330 €
TMNPortátil Fujitsu Siemens Esprimo Mobile V5515
Monitor 15,4"
Processador Intel Pentium Dual Core T2130 1,86 GHZ
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista Premium
Office 2007
Em Português
Tarifário BL Light
Tráfego incluído: 1GB
Velocidade: 384 Kbps
Mensalidade: € 15 (durante 12 meses)
150 € + 15 € * 12 =
330 €
VODAFONEPortátil Toshiba Satellite L40 Notebook
Monitor 15,4"
Pentium Dual Core
Memória 1GB
Disco 80GB
DVD Writer
Wi-Fi
Windows Vista
Office 2007
Em Português

Banda Larga 384Kbp
Tráfego incluído: D:1GB/U:200MB
Velocidade: Até 384 Kbps
Mensalidade: € 15 (durante 12 meses)
150 € + 15 € * 12 =
330 €


[EDIT]
Finalmente encontrei a especificação completa dum dos portáteis, o da Vodafone. Inclui também o exacto modelo L40 em causa (há vários).

http://www.vodafone.com/start/media_relations/news/local_press_releases/portugal/portugal_press_release/e-school_programmes.html

Characteristics of the Toshiba Satellite L40-15G Notebook

Model: Toshiba Satellite L40-15G
Reference: PSL48E-01T00GPT
Technology/Processor: Mobile Technology Intel® Pentium® Dual-Core 2310, (1.46 GHz), 533 Mhz Front Side Bus, 1 MB level 2 cache, Intel® GL960 chipset
Monitor: 15.4" WXGA panoramic TFT
Internal Video Mode: 16.7 million colours, resolution 1280x800
Hard Disk: S.M.A.R.T. 80 GB, SATA (5400rpm), Enhanced IDE
Memory: 512+512 MB DDR2 (667Mhz) RAM, expandable to 3072 MB/4096 MB
Optical Drive: DVD Super-Multi Double Layer (all recording formats: DVD-R/RW, +-R(DL)/+RW and DVD-RAM)
Graphics: Adapter Intel® GMA X3100 (up to 256MB shared)
Communications: 10/100 Base-TX, Ethernet LAN, RJ-45, Azalia 56Kbps V.90 built-in Modem, (V.92 ready), 14.4Kbps Fax, RJ-11
Wi-Fi Communications: Realtek 802.11(b/g) 13ch-RTL8187B, (WiFi compatible)
Audio System: 16-bit stereo with built-in stereo speakers
Interfaces: 1x headphones, 1x microphone, 1x DC input, 1x external monitor, 1x RJ-45, 1x RJ-11, 3x USB 2.0
Expansion: 1x PC Card (Express card), 2x memory slots (0 to configure)
Battery: Lithium ion, maximum stand-by 2.0 hours (Mobile Mark™)
Software included: Toshiba Management Console, On-line User Manual, Toshiba ConfigFree™, Toshiba utilities and drivers, Toshiba DVD, Connectivity Doctor
Special features: Slot for Kensington Security cable, Boot Pen drive USB
Dimensions: (LxWxT) and Weight 365 x 269.5 x 35.3/36.8 mm; weight: 2.75 Kg

[EDIT]
Intel® Pentium® Dual-Core Mobile Processor CTP Calculations
http://www.intel.com/support/processors/mobile/pentiumdualcore/sb/cs-028241.htm


[EDIT]
No site da Chip7 consegue-se ter uma ideia de onde é que se enquadram os portáteis desta campanha, em termos de posicionamento de tecnologia.
http://www.chip7.pt/catalogo/index.php?cat=761&seleccao=caracteristicas196&param=1667





[EDIT]
Onde se lia StarOffice foi corrigido para OpenOffice.


[EDIT]

OpenOffice.org 2.3 - review (link) e download (link directo da versão windows em inglês, sem uso de softwares P2P; outras versões: link)
Editor's review of OpenOffice.org
A credible rival to MS Office, OpenOffice.org includes powerful applications for making text documents, spreadsheets, presentations, diagrams, and databases, as well as HTML and XML documents. Not only does it let you edit basic documents, such as letters and faxes, it also handles equations and complex and multipart documents with bibliographies, reference tables, and indexes.
The interface is similar to that of MS Office, and even advanced Office users will find almost everything they're used to: templates, collaborative features (versions, recording changes), macros, and even a programming language. OOo, as it's known, lets you open and save documents in formats as diverse as MS Office formats, PDF, HTML, and XML. It can also import files from those formats, as well as WordPerfect and others. However, it normally saves files in the open-standard Oasis OpenDocument XML format, for maximum compatibility with other applications.
The latest versions of OpenOffice have seen a spurt of growth in the extensions available for the program. These include templates for professional writers, an export tool for bidirectional functionality with Google Docs, blog publishing, and others. Blog publishing assistance especially strikes us as a natural area for word processing to grow toward.
We were pleased to find that stability has improved too. No doubt about it, the multilingual and crossplatform OpenOffice.org is a compelling option for anyone in search of an alternative office suite.


[EDIT]
O presente texto de opinião deve ser entendido apenas um contributo para uma tomada de decisão fundamentada. Aderir ou não ao programa eescola deverá ser o resultado duma análise pessoal de custo/benefício, ciente de que haverá pessoas a quem este programa trará vantagens e a outras não.

Ver todos os posts sobre o tema eescola: link



40 comments :

  1. João Rato disse...
     

    Vou fazer um link na Sinistra Ministra sobre este esclarecimento do Flicorno. Até agora foi o mais completo que encontrei.

  2. Moriae disse...
     

    Excelente contributo! Obrigada João Rato pelo link e Fliscorno/Raposinha pela preciosa informação!

  3. carlos disse...
     

    Pois é confirmo!
    É de mandar para a GAJA!!
    e bom saber que existem pessoas com disponibilidade para gratuitamente ajudar e esclarecer aquelas que têm dúvidas em matérias que até parecem simples.
    Obrigado!

  4. avelaneiraflorida disse...
     

    EXCELENTE!!!!!!!

    PODEMOS FAZER UM OUTDOOR e colcar na AV. 5 de outubro...PARA QUE SE VEJA?????

  5. eremita disse...
     

    Gostaria de acrescentar que, com ou sem vantagens, o facto é que os PC's para o 10º ano ainda não estão a ser distribuidos, ninguém sabe como se distribuem, etc e tal. Contactado o nº707 242 004, do site eescolas, informaram que só foram distribuídos Pc's pelos miúdos que aparecerem na TV a publicitar a iniciativa.

  6. Range-o-dente disse...
     

    Atenção que já há alunos a comprar portáteis para vender.

    Em que condições, não sei. Mas que vendem, vendem.

    Coisas do empreendorismo.

    .

  7. Raposa Velha disse...
     

    Olá!
    Obrigado pela divulgação e pelo feedback. Daqui a mais alguns dirias darei outra volta pelo tema para, eventualmente, actualizar este post. (Adicionando texto a este post, já que não pretendo tornar o blog num cantinho de informático lol).

  8. Diogo disse...
     

    Tendo em conta ao seu texto chego à conclusão que os computadores até são bons, o problema está no Windows Vista ser exigente demais para os ditos cujos e pela Internet...

    Agora pergunto eu: Se quisermos podemos desinstalar o Vista e instalar o XP certo? E se quisermos aumentar os GB da Net que eles nos oferecem podemos mas temos que pagar o preço do mercado pelo que percebi...

    Fica a dúvida e agradeço desde já pela resposta

  9. Raposa Velha disse...
     

    Olá Diogo.
    Qualquer computador é bom desde que usado para o fim adequado :)Bom, tirando a resposta politicamente correcta: a configuração desdes PC está subdimensionada para o sistema operativo em causa, o Windows Vista. Obviamente que funcionará com o Vista! Mas funcionaria melhor com o XP. A questão da memória é esta: sendo escassa, o sistema operativo, isto é, o Windows, passará tempo considerável a guardar temporariamente em disco partes da memória RAM, tornando-a livre para outras tarefas.

    Pode-se desinstalar o Vista, sim. Mas se for para instalar outro Windows há a questão de que também precisará de se ter uma licença...

    Sobre expandir a memória, se todas as configurações forem como a da Vodafone, é de notar que o portátil traz dois encaixes (slots)para circuitos de memória e que estes vêm ocupados com dois módulos de 512 Mb, perfazendo o anunciado 1 Mb. Ou seja, para aumentar a memória ao PC, depois de comprado, neste caso é necessário comprar a totalidade da memória, ficando os módulos de origem sem uso. Daí ter frisado que eu pediria para o computador vir de origem com mais memória.

    A Internet fornecida, a que operadores eufemisticamente chamam de banda largar, é quanto a mim uma inutilidade. Mas eu sou um utilizador exigente neste aspecto. Para os utilizadores no geral convem perceber o que se vai receber - explico isso no texto - para concluir se tem ou não interesse.

    Estes portáteis tem utilidade, isso não está em causa. Interessa, isso sim, perceber o que se está a comprar.

  10. Sérgio Antunes disse...
     

    Muito bom sim senhor.
    Sem qualquer duvida talvez a melhor explicação que já li sobre este assunto na Internet.

    Quanto a mim e na qualidade potencial cliente (professor) desta negociata entre o ministério, operadores e as respectivas marcas (porque só duas?), penso que esta iniciativa é e se me permitem de um modo popular muita parra e pouca uva.
    Após o que li em vários sítios, só posso concluir que na perspectiva da tutela e desculpem-me a ironia, tanto alunos como professores para entrarem em força nas novas tecnologias e darem um uso mais Professional ao computador, para elevarmos os padrões de tecnologia, e o uso efectivo das mesmas no nosso dia a dia, nada melhor que um computador que de um modo geral e sem muitas dúvidas se pode concluir que é de baixa gama a todos os níveis, castrando/esgotando num curto espaço de tempo a sua utilização quer com as aplicações actuais, que já levam os recursos do aparelho bem perto dos seus limites (memória, disco, etc) bem com aquelas que ao ritmo da informática sabemos que vão aparecer brevemente mais funcionais mas também mais potentes e mais exigentes .
    Mais valia que pedissem mais dinheiro e disponibilizassem, um aparelho realmente capaz de ter uma vida útil prolongada, numa utilização séria, efectiva e profissional, pois penso que o objectivo desta campanha não será o de dar computadores para lazer e brincadeira.
    Como cereja no topo do bolo, está a obrigação de uma fidelização que nos prende a uma rede que após contracto firmado não tem que subir quer a velocidade quer a capacidade de download, ou qualquer outro tipo de actualização
    Podemos sempre romper o contrato, basta pagar de uma só vez todos os meses que restam. Parece-me algo penosa esta parte.
    Porque não podemos ter um tarifário como as outras pessoas? porque obrigados a ter Internet?
    Será que só que está ligado a rede, é que está incluído no choque tecnológico.
    Choque só se for o de desesperar por ver que uma aplicação demora uma eternidade a abrir ou a executar tarefas, por falta de memória, ou querer simplesmente chegar a algumas páginas e aos seus conteúdos e estas serem morosas e entediantes a abrir porque a velocidade é realmente má, enfim deixo-vos a imaginar o resto.
    Parece-me que esta manobra não passa de mais uma jogada politica como tantas outras, com muita publicidade, mas que ao analisarmos as coisas profundamente, rapidamente vemos que este negócio só é vantajoso para as operadoras e para a publicidade da tutela.
    Uns porque jamais iriam entrar nisto se perdessem um cêntimo que fosse como é lógico são uma empresa e não a Santa Casa, os outros porque mostram obra feita.

    Eu certamente não vou adquirir o aparelho, e infelizmente farei parte daqueles que se quiser, terei que desembolsar uma bela nota para poder ter um verdadeiro Computador Portátil ao invés de uma máquina de escrever muito moderna Portátil é claro.

    Sérgio Antunes

  11. Anónimo disse...
     

    O StarOffice é gratuito? Estás a gozar.

  12. Raposa Velha disse...
     

    Lapso meu. Pretendia referir-me ao OpenOffice (texto já corrigido). O StarOffice custa $69.95 e o Microsoft Office 2007 Students Edition custa cerca de 190 euros. O OpenOffice é gratuíto.

    Link para o StarOffice:
    http://www.sun.com/software/star/staroffice/index.jsp

    Link para o OpenOffice (também disponível em PT):
    http://www.openoffice.org/index.html

  13. Anónimo disse...
     

    Boas. Realmente este tópico deu-me uma grande ajuda. Tenho actualmente a possibilidade de adquirir um portatil através deste programa e confesso que desde que soube que poderia adquirir um portatil por 150 euro que não pensei duas vezes., Mas agora depois de ter lido este sumário começo mesmo a ficar com grandes duvidas. Tenho um portatil já com cinco anos e pelo que vejo a unica coisa que ele tem a menos é só mesmo o processador. Ao longo destes anos foi sempre actualizado e de momento tem um diso de 100 GB 1 gde memoria além de outros periféricos. No fundo é mesmo essa a questão, na altura era um topo de gama e ao fim de cinco anos continua a funcionar em pleno com o win xp.Por isso acho que o melhor será mesmo juntar umas massas e adquirir novamente um topo de gama que daqui a cinco anos ainda vai estar actual e assim valerá bem a pena o investimento. Já agora deixo uma pequena dica.... para quem quiser tirar o vista desses pc e não tiver ou não quiser investir numa licença do xp pode utilizar uma versão linux que actualmente estão numa fase excelente, neste caso aconselho o kubuntu por ser mais proximo graficamente do windows, já vem com uma boa dose de softwares gratuitos também eles, incluindo o open office e os problemas de compatibilidade de hardware poucos ou quase nenhum.

  14. Johnny Gomez disse...
     

    O mais interessante é que foi dito a direcção do meu instituto, hoje... Os alunos das Novas Oportunidades (basicamente todos do ensino profissional/tecnológico) "não estão englobados numa primeira fase, nem conseguem dizer quando serão distribuídos os códigos".

  15. Anónimo disse...
     

    Boas. Este blog deu-me uma grande ajuda e gostaria se possível me respondesse a duas questões: é possível alterar as configurações de base do portátil? Pelo que diz (acerca da memória )parece que sim. Eu estava mais a pensar numa placa gráfica aceitável. É possível substituir a oferta de internet por outra útil (comercial)?

  16. Raposa Velha disse...
     

    Anónimo de 6 de Outubro de 2007:
    máquinas supostamente obsoletas ganham nova vida com software da geração anterior ou, simplesmente, de outra plataforma, como é o caso Linux.






    Johnny Gomez,
    tenho alguma curiosidade no que respeita à capacidade organizativa desta acção.









    Anónimo de 14 de Outubro de 2007
    No universo PC é possível sempre alterar a configuração sem dificuldades acrescidas. Pode acontecer que equipamento original fique sem uso. No caso que apresenta, não tenho os detalhes do portátil Fujitsu Siemens, não conheço os detalhes da configuração. No caso do Toshiba, o portátil tem dois "slots" de memória que vêm ocupados com dois módulos de 512Mb, perfazendo o 1Gb de RAM. Assim, se quiser expandir a memória ficará com dois módulos de 512Mb sem uso (precisa de os remover para colocar outros). Numa compra convencional, numa loja, estes módulos geralmente iam para retoma por parte do lojista. Nesta situação não sei como se processará.

    Sobre a placa gráfica, nos portáteis esta costuma vir integrada na placa principal (motherboard) sendo possível em alguns portáteis desactivar a placa gráfica on-board para se adicionar outra. Novamente, no Toshiba, pelo que foi anunciado pela Vodafone, este portátil aparenta não possuir slots de expansão para placas internas, como é o caso da placa gráfica. Um caso a confirmar.

    Uma nota: a placa gráfica de origem no TOshiba [Graphics: Adapter Intel® GMA X3100 (up to 256MB shared)] aceita funcionar até 256Mb de RAM, que por ser partilhada (shared) com a memória principal, gasta até um quarto de toda a memória que o portátil traz. Isto é, o portátil vem com pouca memória e a placa gráfica ainda a reduz mais. Talvez até se safe bem com a placa gráfica mas precisará de mais memória RAM. Como já escrevi por aqui, pessoalmente eu optaria por arranjar já os 4Gb.

    Sobre trocar a oferta Internet por outra: não faço ideia. O meu palpite é que não, pois trata-se duma oferta integrada. Uma alteração implicaria mudança nos pressupostos comerciais. Pode, obviamente, adicionalmente contratar um outro serviço de Internet, ADSL por exemplo.

  17. Anónimo disse...
     

    Cara Raposa,

    Muito bom resumo sobre as propostas que estão sobre a mesa. Não concordo consigo quanto à areia para os olhos da opinião pública, porque até acho a oferta razoável, se pensarmos em termos de custo/rendimento (pelo menos não tem alternativas à altura, e as que você sugere são todas piores, a meu ver - começando no OpenOffice e acabando no acesso Internet móvel de entrada de gama).

    O único senão desta campanha é mesmo os três anos de obrigatoriedade de assinatura, mas não se pode ter tudo.

    Concordo que há a falta de informações precisas sobre a campanha junto das fontes oficiais.
    Quem quiser saber mais sobre determinados assunto tem de andar a ligar para vários locais diferente e a insistir um bocado até começar a obter respostas concretas.

    Deixo duas ou três informações que talvez possam interessar:

    1 - A Assistência técnica / garantia ao computador da Toshiba é feita na Prológica, segundo informações precisas da Toshiba Portugal.

    2 - A "Core" gráfico X3100 aceita até 384MB partilhados, ao contrário que foi dito por si numa anterior reposta (ver: http://download.intel.com/products/graphics/intel_graphics_guide.pdf ).

    3 - A placa gráfica do Fujitsu é, aparentemente, segundo informações na folha de características do produto, baseado do chip SIS Mirage 3+. Não faço ideia se é melhor ou pior que o X3100. Segundo outras opiniões, parece ser inferior ao usado no Toshiba.

    Cumprimentos,

    1º Anónimo do dia 18

  18. Anónimo disse...
     

    Esqueci-me de uma coisa:

    A Placa Gráfica do Toshiba NÃO é passível de ser trocada. Confirmei com a Toshiba

    A X3100 parece ser boa para trabalhar com o sistema Aero, do Vista (pelo menos tem rotinas destinadas a isso). Agora se cumpre o objectivo ou não, não sei.
    Não é boa para jogos.

    Cumps,

    outra vez o 1º Anónimo do dia 18

  19. Raposa Velha disse...
     

    Olá Anónimo do dia 18 :)

    Eu digo que esta oferta poderá interessar a uns e a outros não. Mas tenho uma opinião pessoal, que se baseia nas minhas expectativas. Sobre atirar areia para os olhos... muitas questões se poderiam colocar. Já foram sobejamente discutidas pelo que não as repetirei.

    Quanto a alternativas serem piores, a quais se refere em particular? Por 780 euros ou por 1000 euros (dependendo da largura de banda contratada) compram-se portáteis pelo menos equivalentes a estes. O OpenOffice... já o usou? Eu não, fico-me pela review da C|Net, reconhecidamente independente. E não sugiro nenhuma Internet móvel, bem pelo contrário.

    Em relação à placa gráfica do Toshiba, publiquei a informação disponibilizada pelo press-release da Vodafone, o qual talvez estivesse errado.

    As placas gráficas "on-board" não podem ser trocadas, claro. Mas alguns BIOS permitem que sejam desactivadas, o que é diferente. Está lá, mas não é usada. Isso permite que seja instalada uma placa gráfica diferente. Para isso será necessário um "slot" específico, coisa que o Toshiba aparentemente não tem (nas especificações dadas pela Vodafone não vi referência alguma a slots AGP...). E se a Toshiba informou que não pode ser trocada, creio que é assunto encerrado ;)


    Obrigado pela partilha destas informações! Certamente que interessarão a outros "clientes" da campanha ;)

  20. Anónimo disse...
     

    Cara(o) Raposa,

    Quanto à questão dos 256MB de memória, como máximo partilhado pela placa gráfica, tem toda a razão, fui eu que não reparei que a especificação vinha da Toshiba. Em princípio, se eles o dizem, então a máquina tem mesmo esse limite. Os 384MB que apontei são uma característica do chip gráfico, referentes a um possível máximo alcançável, e provavelmente variam conforme as características do PC onde são colocados.

    Quanto ao Open Office, sim já o testei. Tive de o fazer para ver se compensava mudar. Analisei a folha de cálculo mais a fundo do que os outros aplicativos. Tenho a dizer o seguinte: é um bom pacote de programas, não há dúvida, mas não se compara com o Office 2007 (mesmo considerando que é o Standard que estamos a falar). Nem de perto nem de longe. Talvez se o comprássemos com o Office XP (que saiu em 2002, salvo erro) os pratos da balança estivessem mais equilibrados.
    A maioria das possibilidades e ferramentas estão, de facto, asseguradas, mas para quem está habituado ao produto da Microsoft (e pensando que é este que está na programação escolar), é contra-produtivo mudar de ambiente. Os maneirismos são completamente diferentes e as capacidades também.
    Dou-lhe alguns exemplos simples: as fórmulas da folha de cálculo não têm a mesma sintaxe (e nem vou falar do VBA e do OLE Automation), os atalhos de teclado são outros, o interface gráfico do Office 2007 é muito mais agradável e produtivo que o do OO, não há um cliente de correio-electrónico/agenda no OO, e, para terminar, deixo-lhe um pequeno desafio: tente fazer um simples mail-merge com as ferramentas do Open Office e veja o pesadelo que é! Acredite. Tente e veja por si.

    Falemos agora de alternativas.
    Sugira-me uma alternativa viável para eu comprar um portátil, que venha artilhado com um bom pacote de software/ferramentas, com perspectiva de ligação à net, e que seja mais barata que esta.
    E não se esqueça que o "eu" significa um aluno de 10º ano com poucos conhecimentos de informática e com pouco dinheiro no bolso.
    Por falar nisso, à data de lançamento desta campanha, o PC estava com um preço de mercado efectivamente acima dos 700€ (o que já não se verifica agora).
    Como pessoa interessada em adquirir um destes portáteis, estou aberto a sugestões.

    Eu compreendo a sua irritação quanto a certa "governamentalices" e contra certas instituições, mas às vezes nem tudo acaba por ser mau. Esta campanha, por exemplo, pende para o favorável, na minha avaliação.

    Cumprimentos,

    A. do dia 18/19

  21. Raposa Velha disse...
     

    A. do dia 18/19 :
    Ups... pretendia ter um post
    informativo em vez de irritado lol

    Aceito o desafio, para a semana "postarei" algo que se possa comprar com o mesmo dinheiro. Ainda não fiz as contas para ver em quanto fica um Mac Mini mas este é um computador fantástico, com muito bom conjunto de software incluído de raiz. E também corre Windows, em emulação, claro. Ok, não é PC...

    Mas realço novamente: é minha opinião que esta campanha interessa a alguns e a outros não. Depende apenas das circunstâncias de cada um.

  22. Anónimo disse...
     

    Um Mini Mac também eu queria... ;)

    Cumprimentos,

    A. dia 19

  23. eremita disse...
     

    Relativamente à distribuição dos PC's,na escola que eu acompanho mais de perto, ainda não foram distribuídos os códigos. Primeiro seria a secretaria depois passou para responsabilidade da DT e a última versão é que será a secretaria mas mediante o preenchimento de um impresso com a indicação dos nºs de contribuintes dos paizinhos do aluno e outras infos. Já cá faltava o simplex! Depois de termos preenchido o boletim de matrícula e da escola ter enviado a informação dos alunos para que fossem emitidos os códigos. Teria que aparecer mais um formulário para vigiar o que já está vigiado. Num País com controlos burocráticos tão apertados é espantoso como existem tantas falcatruas. Provavelemente é mesmo por este comportamento doentio de andarmos aos papéis.

  24. Raposa Velha disse...
     

    Caro "A. do dia 18/19" / "A. dia 19",

    tenho que lhe perguntar isto directamente: passou por aqui pretendendo que é um aluno do 10º ano, sendo na verdade alguém simplestemente praticando FUD* neste blog?

    A pergunta decorre de eu ter constatado que não pode ter seriamente experimentado o OpenOffice. E de não ter olhado bem para os preços dos portáteis, mesmo que se lhes acrescente a dita Internet.

    Vejamos. Para que pudesse avançar uma opinião sobre o OpenOffice, instalei-o e desde há uma semana que o uso em substituição do MS Office 2002. Sim, este Office não é o último grito em propaganda comercial mas também conheço o MS O. 2007 e prefiro o 2002. Depois duma semana de uso, constato que este pacote de aplicações é de utilização muito semelhante ao MS O., tanto em atalhos, como em menus. E até tem menos algumas "annoyances". Experimentei mesmo fazer um mail merge, como segere, e realmente não vejo onde está a dificuldade. Mas enfim, cada qual sabe de si. Também há quem ache a Coca-Cola completamente diferente da Pepsi-Cola...

    Sobre os portáteis. Em primeiro lugar, se alguém fizer questão em ter uma ligação Internet móvel, mesmo que fraca e cara, então não tem outra hipótese do que pagar por isso. Nesse caso, a opção e-escola é interessante.

    Para o resto do mundo: quem tal um Portátil Fujitsu Siemens V5515 (Intel Core Duo T2130, Memória de 2GB DDR2, Disco de 120 GB SATA, Ecrã 15.4" TFT WXGA) por 699 € (melhor do que os do e-escola, não é?), disponível na Chip7.pt (não tenho interesse comercial na Chip7, note-se!!!).

    E quanto a Internet, que tal Internet (2Gb velocidade, 10GB de tráfego por mês) + TV (10 canais) + telefone por 20€ mensais? (link)

    Em suma, respondendo à sua questão: querendo portátil+Internet móvel, o programa e-escola (na versão 384 Kbps) tem interesse. Caso contrário, Portátil Fujitsu Siemens V5515 (699 €) + OpenOffice + net da AR Telecom (20 € mensais) parece-me uma alternativa a considerar. Isto, para ir a um caso concreto, note-se.


    *FUD - fear, uncertainty and doubt
    cf link

  25. Raposa Velha disse...
     

    Creio que nunca será demais realçar: haverá a quem pagar 150 € iniciais pelo portátil, mais uma mensalidade para a Internet móvel, mesmo que fraquinha, tenha interesse devido ao baixo investimento necessário.

    Convém é saber o que se está a comprar, para não se ter gato, pensado que vinha lebre. É neste sentido que tenho aqui deixado as minhas opiniões.

  26. Anónimo disse...
     

    Boa noite, caro Raposa.

    Aceito a legitimidade da sua dúvida. De facto, eu próprio me perguntei como estaria a ser imaginado pelas outras pessoas que me estavam a ler.

    Sou profissional de informática já lá vão uns anos (trabalho com SGBDRS de baixa escala) e resolvi voltar a estudar - desta feita estudar algo que me seja mais proveitoso, uma vez que o meu curso não se adequa à minha profissão. Não pretendo ter um canudo só para dizer que sou licenciado, pretendo antes aprender a matéria. Comecei pelo 10º ano, que estou a fazer à noite.

    Sou alguém verdadeiramente interessado no portátil, já entreguei o dito papel de ressonâncias simplexo-burocráticas lá na escola, e aguardo ansiosamente a chegada do código.

    Analisei a fundo o Open-Office, tal como já disse, e mantenho tudo o que disse a respeito dele e dos vários Offices. Já afirmei que o considero uma boa alternativa ao sistema da Microsoft (possivelmente a única digna de ser mencionada), mas nunca um produto à altura. Digamos que, numa escala de 0 a 100, atribuiria um 85 ao OO e um 95 ao MSO.
    Eu é que não entendo como é que considera fácil a utilização daquele mail-merge. Na rede lá da minha empresa, em 8 trabalhadores, não houve um único que desse com aquilo (pessoal que utiliza bem o mail-merge do MSO: ficheiros de word com etiquetas e uma tabela em Excel com os dados, por exemplo).

    Mil vezes o 2007 (propaganda comercial à parte, que essa esteve lá sempre com a Microsoft, não é de agora). Pela primeira vez em muitos anos, um Office traz alterações dignas de nota. E boas.

    A respeito da sua alternativa:
    Em primeiro lugar falemos do preço do portátil - 150€ contra 700€. Venha de lá o estudante sem um tusto no bolso e escolha, se é que pode escolher. De nada serve as melhores características da sua alternativa se não houver dinheiro para a adquirir. Espanta-me que não tenha colocado inclusivamente um PC mais caro. Ou um desktop.

    Quanto à Internet, e uma vez que a proposta apresentada não é móvel, estamos conversados. Não é uma alternativa.

    Numa coisa tem razão. Podiam ter considerado essa alternativa na proposta e-escola. Não era essencial que a Internet fosse portátil, era mais essencial que houvesse um meio de acesso, que podia ser fixo.

    Num caso concreto, esta proposta pode ser uma alternativa válida. Na realidade, e para a maioria dos interessados, receio que não seja.

    De qualquer modo, tenho de o cumprimentar pelo óptimo resumo que fez da informação. Está aqui uma página que pode fazer a diferença para quem está indeciso entre aderir e não aderir, já que nos sites oficiais a coisa é o que se sabe.

    A mim pôs-me a pensar, ainda que não me tenha feito mudar de ideias.

    Cumprimentos,

    A.

  27. Raposa Velha disse...
     

    Olá A.,
    obrigado pelas palavras simpáticas. Creio que no fundo as nossas opiniões não diferem assim tanto.
    Suponho que estará nas novas oportunidades, sendo trabalhador estudante. Felicito a sua iniciativa. Na sua situação, já o escrevi várias vezes, é inquestionável que o programa e-escola é interessante.

    Sobre o OpenOffice, reconheço pelo que escreve que o analisou de facto. Dou a mão à palmatória :) Pessoalmente, não o acho complicado. Deformação profissional minha, talvez. Discordo sobre o MS Office 2007. Não gosto da interface bonecada à la Windows Vista e acho uma chatice o novo formato de documentos que decidiram introduzir.

    A alternativa de que falo... isto já foi dito e re-dito (saída à la Floribella). É uma alternativa. Pode interessar ou não, cada qual deve fazer a sua análise. A mim, se fosse professor, não me interessaria porque
    a) quero ter uma ligação Internet em condições;
    b) quero ter um computador decente, com memória qb e disco qb;
    c) não faço questão na Internet móvel;
    d) prefiro o Linux ao Windows e tenho software open source (gratuito) que faz tudo e mais alguma coisa do que preciso como "home user".

    Mas isto sou eu ;)

  28. Anónimo disse...
     

    Independentemente do desempenho do material própriamente dito, e nesse aspecto dou os meus parabéns a quem tanto se disponibiliza para informar e bem os que precisam, queria apenas dizer que, e esta é apenas a minha opinião, só adere a uma iniciativa destas das três uma, ou quem não está minimamente informado, ou quem porventura está muito seguro de que a vida nunca lhe trará fatalidades, ou quem é muito parvo, já que se não sabem vão ficar a saber, uma das clausulas do regulamento determina que, e passo a citar "os estudantes só poderão ficar com o material informático caso completem o secundário sem reprovações", o que a meu ver é deveras muito grave, já que a ser verdade se trata de um acto fraudolento e enganoso.Mas mesmo que assim o não fosse e como se não bastasse tudo isto ainda querem, injustamente diga-se, dar oportunidades por igual valor financeiro a professores que "coitados" "não auferem" vencimentos que lhes permitam adquirir equipamento informático. Tudo isto sim é que se deve tomar em consideração quando embarcamos em programas desleais como este; que me desculpem todos os que possam porventura discordar da minha opinião e achem muito mais importante discutir assuntos do foro técnico. http://www.novasoportunidades.gov.pt/noticias.aspx ( Iniciativa para generalização da utilização de computadores e Internet - 01 AGO 2007 )

  29. Daniel Caetano disse...
     

    eu so tnh 1a cena a dizer
    o pc ao fim d 3 anos fica em tanto como o meu portatil e tem menos d metade das cenas do meu e eu pago net d 12mb e estes tem d s pagar net d porcaria... mais vale comprar 1 laptop novo fg -.-

  30. Anónimo disse...
     

    Ao anónimo de dia 31 de Outubro,

    É verdade que a frase que cita está lá escrita nesse site, mas a informação está errada. Teria sido melhor se tivesse tentado perceber isso antes de colocar mais uma mensagem inflamada a propósito da campanha, chamando inclusivamente de parvos aos cerca 70.000 aderentes ao programa.

    A iniciativa e-escola destina-se a alunos de que se inscrevam no 10º ano durante os próximos três anos, e NÃO impõe nenhuma obrigatoriedade de sucesso escolar.
    Aliás, as próprias operadoras móveis indicam que o portátil é do aluno a partir do memento que lhe seja entrega (e pago, nos caso de), e ponto final.
    Mais uma vez, estive-me a mexer para perceber essa questão (que a existir seria realmente escandalosa, por não estar a ser divulgada), e fui informado, por telefone, acerca do local exacto onde consta o regulamento (que NÃO está no site das novas iniciativas).

    Podem consultar aqui:
    http://www.min-edu.pt/np3/973.html

    Eu continuo a achar que, no global, é uma iniciativa muito razoável (e olhem que não sou assim tão parvo ;) ).

    Ao Daniel Caetano:

    Sim, mais vale comprar um desktop com aceso fixo à net. Tem tudo a ver.

    A.

  31. Sérgio Pontes disse...
     

    Absolutamente fantástico este post. Infelizmente já conhecia bem a "tanga" dos portateis a 150€, pois frequento foruns de hardware, e até pesco alguma coisita de computadores.

    Note-se entretanto que para a maioria dos Portugueses não têm de todo esta noção!

    Ora vamos a reflectir, um portatil razoavel anda por volta de 1000€, uma ligação à net portatil implica monetáriamente a aquisição do servico (grosso modo compra do modem usb) por cerca de 99€, depois mais x euros por mês consuante o tarifário que escolha....

    Agora pensem só, o governo não dá nda a ninguem, havia de "dar" portateis a 150€ por alma de quem?

    Poderiamos é eventualmente falar de "publicidade enganosa" mais isso é algo que todos os politicos fazem diariamente!

    Um abraço e mais uma vez parabens pelo post!

  32. joao sousa disse...
     

    os meus parabéns pelo que está a contribuir para esclarecer algumas mentes mais avaçadas.
    Será que o computador por 330€ preço para o programa opurtunidades é caro??? formandos que vão iniciar o seu contacto pela primeira vez com um computador e net????
    será que os computadores não veêm equipados com o sistema wireless!!!!! Será que em todos os pontos existentes no país para a capetação do sinal o mesmo é melhor???
    agradeço o esclarecimento

  33. Anónimo disse...
     

    o programa não tá mal.
    um portatil a 150 euros é simpatico mas sejamos realistas.
    APENAS ESTES TERÃO DIREITO ao portátil de 150 euros:
    _ pobres ( que nem todos sao pobres porque falcatruam rendimentos e etcs)
    _ novas oportunidades ( destes, muitos saem das escolas para parar d estudar e teem direito a um pc mais barato que os colegas que ficam a estudar )

    Os outros..ficam em 780.
    Compensa?
    _ Net durante 3 anos ( ainda que lenta e limitada permite acesso a mails, trabalho, páginas etcs..)
    _ Portátil razoável
    _ Windows Vista ( não pirata )
    _ Office 2007 ( não pirata )
    _ Placa USB de banda larga ( custa na loja 69euros )
    EVIDENTE QUE COMPENSA.

    E para jogos?
    _ placa gráfica fraca
    _ RAM com o VISTA insuficiente
    _ aquecimento
    EVIDENTE QUE NÃO COMPENSA.


    É aluno novas oportunidades?
    CLaro que compensa.

    É aluno 10 mas tens apoios sociais?
    Claro que compensa.

    É prof/aluno do 10?
    Varia. Tens net e um portátil pago às prestações. O preço é caro porque pagas algo que até hoje já está mais barato e desactualizado. Daqui a 3 anos terás melhor internet e melhores pcs a preço mais barato. Terá que considerar isso.

    Eu, tenho 2 pcs em casa por motivos de trabalho. Internet de banda larga. Não tenho portátil. A minha mulher é professora e adquiriu um.
    Devo dizer que o Toshiba se comporta bem, mas o Vista é lento.
    Devo dizer que a velocidade da net é uma xatice para quem tem banda larga, mas para quem não conhece a banda larga, a net e-escola da para o basico. Ler mail, ver páginas etcs.
    Downloads? Esqueçam.

    É sobretudo um pc para trabalho e trabalho não-gráfico já que a placa gráfica não é topo de gama.
    O espaço em disco é reduzido. Talvez dê para trabalho...mas pouco. Para mim não daria.
    Memória....usam o VISTA? esqueçam lá o 1giga. Actualizem para dois e mesmo assim.. Nunca terão grandes efeitos porque a paca gráfica o impede.
    A velocidade do pc é ditada pelo componente mais fraco, neste caso a gráfica.


    Opinião pessoal e geral:
    PC razoável. Bom para trabalho em qualquer lugar. Jogos? pouco. Internet em qualquer lugar é sempre útil.
    Para quem quer portatil e net, nao tem muito dinheiro e se encaixa no perfil de quem pode ter acesso, avance.

    O governo podia ter pensado melhor e oferecido a opção de escolha por um equipamento mais caro, pagando o interessado a diferença. Mas não lhes convinha.. e o resultado não será tão bom como o que poderia ser. Mas eles lá sabem, com os seus portáteis de 1500 euros, o que os estudantes e professores precisam...

    enfim, espero ter ajudado qualquer coisa

    TU BIAS

  34. Anónimo disse...
     

    A informação tá porreira. tava difícil d encontrar! brigadão!!!

  35. Anónimo disse...
     

    Gostaria de avisar todos os leitores para o enorme risco que correm ao confiar nas informações que lhes são prestadas pelas linhas e-escola dos diferentes operadores.

    Tenho a inscrição e o contrato(como professor) assinados desde o mês passado na TMN. Na altura coloquei a questão da "happy-hour"e foi-me dito que poderia usufruir da mesma desde que recebesse o equipamento até ao fim de Novembro, pois só depois de receber a placa é que me podiam alterar o tarifário(para os 640 kbps). Disseram-me ainda que não me preocupasse porque faltava muito tempo para o fim do mês.

    Como se aproximava o fim do mês telefonei novamente a semana passada. Qual não foi o meu espanto quando me disseram que a e-escola não tinha direito a happy-hour.

    Na minha opinião isto viola o acordo entre os operadores e o governo, porque era suposto haver um desconto de 5€ em relação à oferta comercial. Ora se a oferta comercial tem "happy-hour" o plano equivalente do e-escola também deveria ter.

    Consequentemente cancelei o contrato(tive de ligar 5 vezes porque o programa de cancelamentos não funcionava).

    Como os contratos de aluno e professor não são vantajosos sem "happy-hour" liguei para a Vodafone e a conversa foi a mesma. Que sim, que tinha direito desde que pagasse mais 5€(29,9€). Telefonei umas 5 vezes(escaldado que estava com o que se passou com a TMN) e pedi que me dessem a resposta por escrito, inclusivamente até enviei um e-mail para o apoio ao cliente onde nada me responderam só me reencaminharam para a linha e-escola.

    Da última vez a Sra até me perguntou se eu queria o nome dela, porque a informação "era fidedigna".

    Novo contrato e novo envio.

    Sábado telefonei novamente por causa de estarmos próximos do fim do mês e qual não é o meu espanto quando a operadora me diz que a "happy-hour" para o e-escola tinha sido cancelada. Perguntei-lhe quando(uma vez que 2 dias antes ainda existia) e não me soube responder.

    Resumindo: o que agora é verdade, amanhã é mentira. Forma nada boa de começar uma relação comercial que deverá durar pelo menos 3 anos.

    Cancelei novamente o contrato(este estava feito no nome da minha mulher) e voltei a telefonar para a TMN, uma vez que a Vodafone, com a sua limitação de 200Mb de up-loads é a pior das 3 ofertas.

    Agora(sábado) já existia novamente a possibilidade de "happy-hour" desde que pagasse mais 5€ correspondentes ao tarifário geral.

    Hoje(2ª feira) telefonei novamente e já não tinham a certeza, outra vez.

    Isto começa a ultrapassar a imcompetência e a raiar a má fé.

    A menos que me respondam positivamente e por escrito estou a ponderar cancelar novamente o contrato e inscrever-me na Optimus, uma vez que existe um tarifário com 6 Gb, sendo neste caso a oferta compensadora à justa.
    (Banda larga fixa equivalente - 25€, ou seja paga-se mais 10€ na móvel x 36 meses, dá 360€+150€ = 510€, que é um valor inferior ao preço de mercado do pacote, cerca de 700€).

    Obviamente que cada um deve fazer as suas contas. No meu caso todos os PCs que comprei até hoje(uns 5, incluindo um portátil Fujitsu-Siemens com quase 4 anos, foram de entrada de gama e jamais compraria um PC topo de gama ou se quer de gama média. Quanto a Macs nem se fala.

    Por isso este seria precisamente o tipo de PC que compraria.

    Outra coisa que costumo fazer é utilizar sempre um Sistema Operativo abaixo do último disponível. No caso do portátil que referi dei-me ao trabalho de (em 2004) pesquisar a net à procura de drivers para o Windows 98 e encontrei-os a todos excepto os do Modem. Estive assim à espera do lançamento do Vista para reinstalar o XP, coisa que fiz há apenas 2 meses. Quanto ao Office utilizei o 97 até 2004 e desde então o 2000. O OpenOffice deve ser utilizado como forma de contrariar o monopólio da MS, mas tem algumas limitações.

    Também não concordo com a questão das memórias. Antes de reinstalar o Xp não tive qualquer dificuldade em adquirir memória para o referido portátil e mais barata do que se a tivesse comprado há 4 anos.
    O que seria lógico seria fazer o downgrade do PC do e-escola para o XP e aguentá-lo até ao máximo(pelo menos uns 4 anos) e nessa altura comprar as memórias e reinstalar o Vista.

    Resumindo a grande questão não é o PC(se esperarem mais um pouco deverão aprecer PCs melhores, uma vez que o programa dura 3 anos e os discos de 80G estão quase a deixar de ser fabricados), mas sim os tarifários oferecidos pelas operadoras.

    Este programa só é vantajoso se permitir desistir da internet fixa, coisa que só é possível com limites de downloads/uploads superiores a 2 Gb.

    Neste aspecto o "presente" da Vodafone(separação de downloads e uploads, sendo o limite dos uploads de mais 200Mb) é altamente envenenado uma vez que muito facilmente será ultrapassado o limite de uploads, e será no exceder dos limites que as operadoras irão recuperar todo o seu investimento. Já estou a ver contas de 60€ em familias de baixos rendimentos.

    Em resumo só para quem, como eu, pode abdicar da net fixa e com um tarifário de 6Gb(optimus) é que o programa vale a pena(as "happy hours" parece que foram um embuste).

    João

  36. Anónimo disse...
     

    Viva,

    Eu sou o anónimo que neste blog, em tempos, mais falou em prole da boa iniciativa que esta campanha significava para muita gente, eu incluido, já que estou inscrito como aluno no 10º ano nocturno.

    Ao final deste tempo todo, e após ter insistido por diversas vezes junto da minha escola, e junto das pessoas a quem entreguei os papéis relativos à responsabilização de pagamentos, chega-me a informação de que os alunos do nocturno não têm direito a esta campanha.

    Li e reli os regulamentos todos tal com estão apresentados nos sites da iniciativa e em nenhum lado refere esta pequena "exclusão".

    Como não me faz assim tanta falta o portátil, nem me vou preocupar muito com esta atitude, mas fica aqui o alerta para mais uma grande borrada por parte de quem manda neste país.

    Abraços.

  37. Anónimo disse...
     

    ola...
    ja me disseram que nao valeria a pena dar o dnh que e para o portatil pois nao sao grande coisa mas eu tenho escalao e vou pagar muito menos.
    a maior estupidez e que os alunos do 11 e 12 so tem a certeza que o portatil e deles quando acabarem o 12 ano com aproveitamento ate la vamos tar a pagar para depois se acontecer ficarmos sem ele?
    e a net chegando aos 5 euros acabou ate carrear mos o que da isso?
    fica aprg sera o mais correcto

  38. Sérgio disse...
     

    boas malta

    e assim...eu tnh acesso banda larga tmn atraves d programa e.escola da tmn,logo passado um dia ou dois mandaram-m esta sms "Para manter o seu cartao activo adira a um tarifario banda larga pelo 800961010. Tem 30 dias apos 1a utilizacao para aderir ou o cartao ficara desactivo", mas supostamento ao aderir a promoçao do portatil o tarifario e d 1gb!!
    tentei tb registar-m n site d tmn...p poder kntrolar a cena d trafego mas diziam k o *cartão n tava activo e n sei k...pguei mndei mail p la e eles mndaram-m isto "TMN-Na sequencia do seu pedido, informamos que o seu cartao recarregavel xxxxxxx foi transferido para o tarifario DATAMOVEL GLOBAL CT"
    *agora tento registar-m ou aceder e n deixa...o registo ta blokeado e ao tntar fazer login diz p tntar outra vez..
    ja li k ligar p 1696 *como eles dizem d pc adianta e gand seka...

    s puderem ajudar era fixe...
    obrigado

  39. Movimento E-Escola disse...
     

    Nós estudantes, para fazer trabalhos, vamos precisar de navegar em vários sites, e esses mesmos sites têm imagens o que consome muito tráfego.

    Por isso, se aderis-te ou queres aderir ao e-escola, assina a nossa petição por uma internet melhor em:

    http://eescola.pt.vu/

  40. Anónimo disse...
     

    Este programa é uma farsa. Obviamente que nao existe a opcao de happy hour. Afinal é aí que esta a negociata! Impingir portateis a uma populaçao alvo altamente consumidora de internet, principalmente de websites carregados, para no final a factura ser um numero bonito! 1 GB/mes????? Mas que é isso hoje em dia?? Isso consome-se numas horitas ! ...

Enviar um comentário