a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Certificações há muitas...

Anda por aí alguma excitação com a certificação pedida para um concurso público do Ministério da Saúde. Acontece que há certificações e certificações. Dei uma leitura nesta ISO/IEC 20000, que não conhecia, e não me deixou entusiasmado. Então se for como as certificações 9001:2000 de pouco valem (estas apenas dizem que a empresa segue o processo que ela mesmo definiu, pouco adiantando sobre a qualidade desse processo). Por outro lado, abordagens como o a do CMMI 1.2 (ver aqui e aqui) olham para os processos e recomendam boas práticas nos campos da gestão e da tecnologia.

Ser-se certificado não tem necessariamente relação directa com a qualidade do produto produzido pela empresa. Depende, muito, da certificação em causa. Mais, atendendo ao número de empresas com esta certificação ISO, não me parece nada linear que esta certificação, em particular, seja aquela a pedir num concurso público.

Uma questão interessante é saber que empresa(s) está/estão em vias de conseguir a certificação ISO/IEC 20000. Sabendo como funcionam os nossos concursos públicos, isto esclarece mais sobre a questão do que qualquer outra discussão :-)


4 comments :

  1. Tony Almeida disse...
     

    Já agora, Jorge, deixo-te aqui uma passagem do livro "Process Improvement with CMMI v1.2 and ISO Standards":

    «it may appear as if those two frameworks are not very compatible. This is no surprise, because they cover different domains: CMMI addresses development processes, whereas ISO 20000 addresses service delivery and management. So why did we decide to include ISO 20000 in this book? There are several reasons. First, the popularity of both of these frameworks and their extensive use in information technology (IT) organizations was an important reason for considering their comparison. The second reason is to take advantage of the use of multiple frameworks for process improvement. (...) The third reason addresses the issue of compliance.

  2. Fliscorno disse...
     

    Hmmm interessante. Em termos de processos, não se pode pensar numa única abordagem como sendo "a" certa. Mesmo assim, o CMMI também tem Process Areas que cobrem a parte de gestão.

    Para mim, a grande diferença é que o CMMI está construido numa abordagem de requisitos, os quais constituem eles mesmo boas práticas.De uma empresa certificada CMMI pode-se afirmar que cumpre um conjunto de boas práticas, sejam de gestão, sejam de IT. Por outro lado, de uma empresa certificada ISO 900x (a 20000 não conheço...) apenas se pode dizer que segue o processo definido pela empresa.

    Já agora, para acrescentar confusão, e que tal o PMBOK? :)

  3. Tony Almeida disse...
     

    Ui! Aí já não te acompanho mesmo... :-S

  4. Mário de Sá Peliteiro disse...
     

    Caro Fliscorno,

    Completamente em desacordo.
    As melhorias de qualidade introduzidas pela implementação e certificação pela 9001:2008 (e não já 2000 como refere) em organizações de todo o mundo e de todas as áreas de actividade são inegáveis. Não são uma varinha de condão mas o movimento qualidade tem trazido grandes benefícios às empresas e aos seus clientes. Por exemplo, em Portugal, é impensável recorrer aos serviços de um laboratório de análises clínicas que não seja certificado.

    Aconselho-o a rever com mais atenção as normas da série 9000 e a ler, por exemplo, este documento http://bit.ly/ynvzK.

    Abraço

Enviar um comentário