a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Também se pesca com redes

A existência desta notícia é o esperado corolário, a chave, a explicação final para a opção pelos Magalhães: apresentar números na campanha eleitoral. Serviu estes propósitos:
  • dar um ar moderno à governação;
  • ajudar, e de maneira, uma empresa no modelo económico socialista;
  • aparentar que se fez alguma coisa positiva na educação.
O facto é que se pode pescar sem cana. E não é por alguém viver rodeado de livros - ou computadores - que se embrenhará de saber.


4 comments :

  1. Porfirio Silva disse...
     

    Parabéns, conseguiu uma medalha. De facto, dizer que o que um governo faz é para ser apresentado como balanço na campanha seguinte ("a explicação final para a opção pelos Magalhães é apresentar números na campanha eleitoral")... é o cúmulo da imaginação. Suponho que o seu ideal seja um governo que, na campanha seguinte, esconda o que fez, em vez de o mostrar. Ou prefere que um partido que esteja no governo seja proibido de fazer campanha nas eleições seguintes?

  2. Anónimo disse...
     

    Porfírio não é uma doença?

  3. Fliscorno disse...
     

    Nada disso, Porfirio. Basta que se gabe de coisas que efectivamente tenham contribuído efectivamente para a causa em questão.

    Agora dizer que é o cumulo da imaginação é dar-me créditos a mais. Será preciso recordar o relatório quase-OCDE?

    Em termos de investimento em tecnologias da informação, o que fazia mais sentido? Bons computadores, pertença da escola e à disposição dos alunos ou uns que ao fim de um ano já estão desactualizados? E os novos alunos dos próximos anos, vão continuar a receber os Magalhães? É que este problema não se colocava se a opção fosse outra.

    Obviamente que a estratégia governativa foi delineada no inicio do mandato. Esta notícia é o corolário disso. E já agora, foi uma notícia de campanha eleitoral ou do ME?

  4. Dr.Shue disse...
     

    "Jovem", nem sei para que te dás ao trabalho de explicar a quem não vê senão para a frente por causa das palas.

Enviar um comentário