a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Um texto que me fez parar para pensar

«Há certos atos que se tornam demasiado rotineiros.», Henrique Monteiro, no Expresso.

Fez-me parar para pensar porque havia algo que me estava a escapar na leitura. Depois compreendi. "Atos" não era um inexistente plural da primeira pessoa singular do presente indicativo mas sim a nova grafia para "actos".

Nem sequer tendo o acordo ortográfico trazido uniformidade à escrita do português, viva a inutilidade da mudança pela mudança.



2 comments :

  1. Isabel Magalhães disse...
     

    Mais uma inutilidade do desgoverno do José de Vilar de Maçada.

  2. O Guardião disse...
     

    Os Atos dos Apóstolos, ou os fatos do outro José, que me envergonha o nome.
    Cumps

Enviar um comentário