a política na vertente de cartaz de campanha

Buzz this

Já cá faltava a greve da CP

Ferroviários partem para a greve

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF) convocou hoje os trabalhadores da Refer, da CP e da EMEF para uma greve no dia 23.

A paralisação tem como objectivo protestar contra o congelamento dos salários, explica o SNTSF, em comunicado.

Sintomaticamente, o que não merece uma greve é o péssimo serviço prestado pela empresa, assunto já aqui abordado:

  • A certo ponto, justifica-se a desorganização com o plano de se privatizar a empresa, o que situa a origem do caos num passado recente. Acontece que a situação tem barbas. Há 20 anos, nos meus tempos de Coimbra, já a Bifurcação de Lares era o local ventoso de espera por ligações que não foram planeadas correctamente que agora é. Bi-anualmente havia novos horários, os de Verão e os de Inverno. Em cada novo horário, a situação mantinha-se: uma ligação não se fazia por uma questão de minutos, obrigando à espera de quase uma hora pela ligação seguinte. ler mais
  • Contribuição para o défice, em milhões de euros: Refer: 43.3, CP: 34.7  ler mais
  • Quando estudava em Coimbra usava a linha do Oeste para ir até B-Lares e aí apanhar o comboio para Coimbra, vindo da Figueira da Foz.Pode parecer inacreditável, mas o facto é que geralmente era necessário esperar pela ligação seguinte (o que costumava implicar pelo menos uma hora de espera) simplesmente porque a o meu comboio chegava alguns minutos depois da anterior ligação ter partido. ler mais

A mim, uma coisa parece-me óbvia. Uma empresa que serve mal os seus clientes, apresentando prejuízo ano após ano, não tem grande margem para aumentar salários. Em oposição, veja-se a CGD e como passou por cima desta contenção salarial.



15 comments :

  1. Moderador disse...
     

    Mas o que é que tem a ver o serviço prestado com o motivo da greve?
    Só um nerd é que não consegue disitnguir essas duas coisas.....que é a CP e os Trabalhadores.
    Os Trabalhadores da CP só fazem o que a empresa lhes manda fazer, agora sem aumentos não vamos lá....
    sem dinheiro não há palhaço.....mas já vi que mesmo sem ele há muitos na terra...

  2. Fliscorno disse...
     

    «Os Trabalhadores da CP só fazem o que a empresa lhes manda fazer»

    Então quando fazem greve é porque a empresa vos manda fazer greve, é isso?

    A CP há décadas que apresenta maus horários em algumas linhas. Isto é um factor crítico para o negócio da empresa e para os resultados desta. Não vejo porque é que este e outros aspectos da gestão não hão-de ser motivo de greve. Porque sendo melhor a gestão, ganham todos, "trabalhadores" incluídos. Essa visão do "eu só faço o que me mandam" é datada e seguramente que não existe em empresas de sucesso.

    Quanto às considerações de índole pessoal, dizem mais sobre quem as escreve do que sobre o visado.

  3. Moderador disse...
     

    Parece que o carapuço serviu....
    È fácil falar.....se calhar deve ser daqueles que devem comer com o governo ou governos......sem rei nem roque.....ao caídos, sabe como é.....um espelho em casa devia fazer-lhe milagres.

  4. Fliscorno disse...
     

    Homem!, em vez de insinuações, argumente. Suba de nível.

    Pelo que escreveu depreendo que trabalha na CP. Pois digo-lhe isto: eu trabalho no privado, pelo que quanto a comer com o governo e sendo a CP uma empresa pública com os prejuízos que dá, é o senhor quem precisamente come com os governos.

    Novamente, as considerações de índole pessoal, dizem mais sobre quem as escreve do que sobre o visado.

  5. Anónimo disse...
     

    Descuple senhor corno...
    As suas considerações são o reflexo da sua falta de conhecimento, quanto a isso não o posso condenar, no entanto recomendo que se informe antes de postar tão vis considerações sobre quem todos os dias com esforço, dedicação e em prejuizo dos seus (devido aos horários bárbaros) trabalha para que milhões de pessoas e toneladas de bens cheguem ao seu destino.
    O problema da CP não é nem nunca foram os seus trabalhadores!!!
    O problema são os gestores!!!
    Quem faz os horários não conhece a realidade nem a necessidade dos passageiros ( até vou mais longe...fazem de propósito), ou então é estupidez patológica!!!
    Quer um exemplo???
    Comboio regional Funcheira a Setubal: Param todos em Canal caveira, no sentido contrario não pára nenhum... isto é gozar com as pessoas, não tem desculpa...
    E quem faz isto??? Os quadros superiores da CP!!!
    Senhor CORNO!!! antes de falar, informe-se...

  6. Fliscorno disse...
     

    No fundo, apesar da sua falta de educação que o poderá impedir de perceber isto, está a dar-me razão: se a gestão é assim tão ruim para a empresa, porque nunca foi isso motivo de greve?

    Pois.

    Quanto a essas "vis considerações" sobre os trabalhadores da CP, espero que, apesar de mal educado, seja capaz de perceber um texto, portanto cite a linha onde elas são feitas.

    De resto, sinta-se à vontade para voltar. Já quase que sabe argumentar.

  7. Moderador disse...
     

    O fliscorno é a única pessoa educada aqui..os outro ao que parece não o são....

  8. Anónimo disse...
     

    Não pondo em causa a educação do senhor fliscorno, que em tudo leva a crer que será optima, mas é igualmente uma pessoa sem conhecimento de causa.

    A situação da CP é tão semelhante como a da administração que todos nós (portugueses) colocaram a gerir uma empresa chamada de Portugal.

    Ora todos nós trabalhadores damos o nosso melhor pela nossa empresa, no entanto a mesma não deixa de dar prejuízos, e de cada vez nos colocar mais no fim da cauda da Europa.

    Ora,os empregados da empresa Portugal também fazem greves, chamadas de greves gerais onde reivindica melhores condições. Tal situação está a ser está a ser aplicada pelos funcionários da CP para com a sua administração.

    Por favor não confunda o pedido de melhores condições pelos funcionários, que todos os dia trabalham para poder satisfazer o cliente, com a medrioracia dos serviços prestados devido a incompetência e falta de empenho de meia dúzia que não sabem nem querem gerir a empresa.

    Quando ás más condições do funcionamento da empresa, essas também deveriam ser alvo de demonstração de desagrado, mas seguramente concordará que não serão os empregados a reivindicar os desagrados dos clientes, mas sim os próprios.

  9. Fliscorno disse...
     

    Ah, vejo que está a desenvolver os dotes humorísticos. Aproveite a onda para quando actualizar o seu blog ;-)

    Bem, se calhar é melhor deixar aqui uma resposta mais convencional, por isso cá vai:

    Quem é que até ao momento não chamou um único nome seja a quem for nestes comentários e no texto do post? Pois é, eu, o "nerd", aquele que deve "comer com o governo ou governos......sem rei nem roque.....ao caídos", o "Senhor CORNO".

    Caia na real. Já reparou que com tanto comentário, ainda não demonstrou porque é que eu estou errado? Está a perder a hipótese de trazer alguém para a sua causa. Argumente, homem!

  10. Fliscorno disse...
     

    Bom, a partir deste momento, tudo o que for comentário na base da insinuação ou do insulto será apagado.

    Há uma coisa que têm que perceber: mesmo que não concorde, aceitarei opiniões contrárias. Nem precisam de grande argumentação, já que cada qual se exprime da forma que melhor achar. Agora, para infantilidades e insinuações baratas sobre alguém que nem se sequer conhecem, tenham paciência, para isso podem ir para o Mercado da Ribeira gastar o vosso latim.

    É muito simples. Se não concordam, deixam as vossas razões. Além disso, só aqui vem quem quer.

  11. Fliscorno disse...
     

    Caro anónimo das 21h54min00s, os meus dois comentários que se seguiram ao seu foram escritos antes de ter visto o seu texto.

    Agradeço que tenha elevado o tom da conversa.

    Vou ler com mais atenção e já digo qualquer coisa.

  12. Fliscorno disse...
     

    Caro anónimo das 21h54min00,

    Não duvido que dêm o melhor pela empresa. Aliás em lado algum teço considerações sobre esse aspecto. Pelo contrário coloco o dedo naquilo que considero ser a ferida da empresa: a má gestão. Há várias razões para os prejuízos da CP. Talvez não esteja a par de texto mais antigos que aqui saíram mas já aqui abordei o tema. No fundo, uma parte do problema é a perda de clientes (onde entra a concorrência com outros meios de transporte) e o desajustamento da oferta da empresa face às necessidades dos clientes. Depois haverá certamente que olhar para a gestão de recursos (materiais e humanos) da empresa - mas sobre esse aspecto estou a leste.


    «seguramente concordará que não serão os empregados a reivindicar os desagrados dos clientes, mas sim os próprio»

    Sinceramente, não vejo porque não. Concordo que os clientes o podem igualmente fazer e certamente que farão por recurso aos livros de reclamações. Mas tendo os próprios trabalhadores da empresa tanto a ganhar com a melhoria da gestão, não vejo porque não há-de fazer parte das suas reivindicações. Até porque nos sindicatos, e é disso que estamos a falar, certamente que haverá pessoas capazes de apresentar alternativas.


    «mas é igualmente uma pessoa sem conhecimento de causa»

    Finalmente, peço-lhe que evite as considerações de índole pessoal. Não nos conhecemos, pois não? Eu também não vou aqui entrar em considerações sobre a sua pessoa, pois não? Sinta-se à vontade, no entanto, para me contrariar com base no que escrevo.

  13. Moderador disse...
     

    Porque é que não nos fala um pouco do seu trabalho.....deve ser muito bom para não se queixar dele....

  14. Fliscorno disse...
     

    Não é o tema do post, pois não? Mas que não seja por isso.

    Desenvolvo software. Trabalho oficialmente 39 horas semanais mas tipicamente há picos de trabalho em que este limite é de longe ultrapassado. Não recebo horas extra mas tenho alguma compensação em horas livres à posteriori. Uma situação comum em toda a industria de software, de resto.

    Se o trabalho é muito bom? Antes de mais, é trabalho. Exacto, não me queixo. Quando achar que as condições de trabalho não são adequadas, mudo de empresa. Já o fiz por duas vezes e, apesar de ter corrido riscos consideráveis por largar uma posição profissionalmente confortável, não me arrependo.

    Dir-me-á que isto não se pode fazer em todas as profissões. Certo. Mas as escolhas fazem-se ao longo da vida. Para chegar aqui tive que abdicar de muita coisa entretanto. Enquanto eu era pobretanas estudante, por exemplo, já os da minha idade tinham casa, carro e família. Não lamento as minhas escolhas mas sublinho que tudo tem o seu custo. Por isso, antes que alguém olhe apenas para o presente, é preciso não esquecer que também há um passado.

  15. Moderador disse...
     

    Ok...está desculpado.
    Um dia vou-lhe explicar a orgânica da CP, como são as escalas de serviço e o meio onde trabalhamos.
    Eu não trabalho no longo curso, estive 11 anos na Linha de Sintra e estou á 3 na Linha de Cascais.
    O serviço que a CP apresenta e é do desagrado da maioria dos passageiros é institucionalizado por indivíduos que passam a vida na secretária sem fazer nada e não sabem nada sobre as necessidades do publico.
    Ora....quando o povo está descontente quem leva na cabeça? Os Revisores. Porque? Porque são as únicas pessoas que aparecem á frente e que tem como propósito dar uma boa imagem da empresa....e isto tem de acabar pois nós somos sempre os responsáveis por tudo....por isso a greve.

Enviar um comentário